Precificação em marketplaces: O que é e como fazer?


Precificação em marketplaces

Um dos fatores mais cruciais na decisão de compra de consumidores online é o preço. É por isso que os vendedores precisam criar uma estratégia de precificação em marketplaces muito bem estruturada para conseguir bons resultados.

Em muitos canais, inclusive, o preço é o requisito mais importante para definir as lojas que aparecerão da Buy Box. Ou seja, se você não oferecer um preço competitivo, pode perder espaço para a concorrência e não ganhar visibilidade nos marketplaces.

Por outro lado, não se trata apenas de abaixar os valores dos seus produtos para superar a concorrência. Afinal, você ainda precisa ter uma margem de lucro para sua loja continuar crescendo.

Ou seja, a precificação em marketplaces é uma atividade mais complexa do que parece. Para te ajudar a criar uma boa estratégia, listamos aqui os principais pontos que você deve se atentar na hora de definir os preços dos seus produtos:

Analise todos os seus custos

O preço dos seus produtos sempre estará atrelado ao custo que você teve para disponibilizá-los à venda. Ou seja, a precificação em marketplaces passa diretamente por entender todos os seus gastos. Eles podem ser divididos em:

Custos do Produto: Entra nessa conta tudo aquilo que você pagou para ter o produto em sua “prateleira”. Ou seja, o preço negociado com o fornecedor, o frete, a embalagem, possíveis diferenciais de alíquota do ICMS, entre outros.

Custos de Venda: Inclua aqui os gastos que você tem somente quando realiza uma venda. O principal deles é a comissão dos marketplaces por exemplo. Quando o frete for por conta do vendedor, é nessa categoria que ele deve ser incluído também.

*Custos da Operação: Aqui você irá somar todos os seus gastos indiretos que você tem para manter sua operação de pé. Nossa recomendação é que você não dilua esses custos no preço dos seus produtos. É importante tê-los em mente para definir o quanto você precisa vender para abater esse valor. No entanto, esse não deve ser um fator determinante na precificação de cada produto. Entram aqui despesas com salário de funcionários, conta de luz, softwares, aluguel, entre outros.

Depois de colocar no papel e somar o custo do produto e o custo de venda, você já terá o valor que precisa ofertar em cada produto para não ficar no prejuízo. No entanto, mais do que não ter prejuízo, se você tem uma loja online seu objetivo é ter também uma boa margem de lucro, certo?

Portanto, o último item que você irá incluir na precificação em marketplaces é uma porcentagem de lucro que você deseja obter. Para definir esse valor, primeiramente pense em um valor bruto que você deseja obter no fim do mês (R$10 mil reais, por exemplo). Lembre-se que você precisa pagar os custos de operação ao definir esse valor.

Em seguida, você analisará o seu mix de produto e definirá as porcentagens de lucro que precisa obter para atingir o valor desejado. Vale lembrar que essa margem de lucro precisa ser pensada de acordo com cada produto que você vende. Se você estipular uma margem de 30%, por exemplo, ela pode fazer sentido para um produto barato, mas pode encarecer demais um produto de custo mais elevado. Ou seja, analise o volume de vendas e preço final do produto ao definir essa margem.

Outro ponto que precisa ser levado em conta é a percepção de valor de cada item. Existem muitos produtos que tem um maior valor agregado por conta da marca, do status que ele passa ou de outros fatores que não estão exclusivamente relacionados ao custo de produção desse item. Geralmente, é possível obter maior margem de lucro nesses artigos.

Utilize a Curva ABC

Calculando os custos, você consegue criar uma “fórmula” para a precificação dos seus produtos. No entanto, esse mercado não é uma matemática simples e outros fatores devem ser considerados.

Um deles é a Curva ABC de vendas. Essa métrica te ajuda a definir quais são os produtos com maior demanda em sua loja. Entenda quais são seus produtos de Classe A, ou seja, aqueles responsáveis por 20% de suas vendas.

Foque sua energia para garantir boas estratégias de precificação para esses itens. Procure entender como você pode diminuir os custos para vende-lo e aumentar ainda mais a rentabilidade desses produtos.

O grande ponto aqui é: não adianta quase nada você fazer um amplo estudo de precificação e otimizar ao máximo o preço de produtos que não tem grande demanda. No fim, você gastará uma energia que pode não ter o retorno esperado.

Estude seus concorrentes

Quando falamos em marketplace, todos os seus cálculos e estratégias precisam levar em conta também a ação dos concorrentes. Afinal, eles estão lado a lado com você disputando a atenção dos consumidores.

Portanto vale a pena entender quais são os preços ofertados pelos concorrentes em cada item que você vende, analisando se você pode ou não oferecer vantagens em relação a eles.

É importante fazer um monitoramento de buy box e ter noção de quantos e quais produtos que você vende estão ganhando visibilidade nesse espaço. Isso te ajudará a perceber em quais itens você ainda precisa melhorar o preço para aumentar a demanda.

No entanto, vale o alerta: toda essa análise é para entender se realmente vale a pena oferecer um preço melhor que os concorrentes. Em muitos casos, superar os concorrentes significa abaixar o preço em um patamar que vai gerar prejuízos ao seu negócio. Essa nunca é uma alternativa viável para sua loja.

Otimize sua operação para oferecer preços mais competitivos

Nos itens acima mostramos quais estratégias você deve utilizar na hora de precificar os seus produtos. Mas mesmo depois de criar seu plano de precificação é possível que você chegue à conclusão que precisa diminuir o preço dos seus produtos, seja para superar um concorrente ou para aumentar a demanda daquele item. O que fazer nessa situação?

Os custos de produto podem ser otimizados com negociações com fornecedores. Tente conseguir melhores preços, faça propostas para ele diminuir o valor do frete ou tente comprar mais itens em troca de um desconto maior. Esteja sempre atento também a novos fornecedores. Em último caso, pensar em um novo mix de produtos pode ser a saída para encontrar itens mais rentáveis.

Já os custos de operação podem ser reduzidos tornando o seu negócio mais otimizado. Por exemplo, se você usar um Hub de Integração, é possível automatizar tarefas, melhorar seu controle de estoque e, consequentemente, usar muito melhor o tempo dos seus colaboradores.

Além disso, um hub como o da Venda.la te ajuda a analisar melhor o desempenho de seus produtos, gera diversos relatórios personalizados (inclusive de Curva ABC) e ainda conta com uma equipe que vai te ajudar com as melhores estratégias em cada canal.

Se você quer se aprofundar mais em precificação em marketplaces, a Venda.la fez um Webinar com Marcelo Roque, CEO da Preço Certo, que discutiu vários pontos do tema.

E se você procura entender um pouco mais sobre os benefícios da nossa plataforma e como ela pode gerar mais lucratividade ao seu negócio, entre em contato com nossos especialistas pelo nosso Whatsapp. Se preferir, preencha seus dados e entraremos em contato.

Preencha os dados



Procurando Informação? Conheça a Venda.la!

+ Sem comentários

Comente